Forum destinado ao Projeto Chroma. Para mais detalhes, visite: www.projetochroma.net.br


    Nudez e preconceito

    Compartilhe

    Alexandre Garcia da Silva

    Mensagens : 102
    Data de inscrição : 17/05/2012
    Idade : 41
    Localização : Poá/SP (ou Piápolis, se preferirem)

    Nudez e preconceito

    Mensagem  Alexandre Garcia da Silva em Qua Out 31, 2012 3:13 am

    Às vezes, um fato banal, que normalmente seria esquecido no dia seguinte, me provoca umas cólicas nos neurônios encharcados de cafeína.
    Outra vez, um programa de televisão. Não me lembro qual pois na ocasião apenas migrava de canal em canal pra movimentar o vazio do momento. Posso dizer que era um documentário televisivo, no mesmo formato e horário do "Globo Repórter" (mas não era o "Globo Repórter") e que o tema era uma tribo de índios (qual? não sei, mas neste momento não importa). Eles encenavam um de seus rituais, uma de suas danças ao mesmo tempo multicoloridas e marciais. Estavam todos nus, claro. E, consequentemente, era perfeitamente possível ver-lhe as genitálias. Melhor, as vergonhas (tão "altas e saradinhas", como diria seu Pero). Até aí, nada de novo.
    Nada?
    De repente, ou dias depois, ou anos depois (novamente, não sei, mas neste momento também não importa), fiquei a matutar: com todo seu (ainda) conservadorismo, a "nobre" televisão brasileira jamais exibiria o nu frontal de quem quer que fosse. Ainda mais antes da meia-noite. A nudez do ser humano incomoda. Excitando ou causando asco (ou ambas as coisas... ah, a nossa ambiguidade!), a nudez incomoda. Portanto, minha cara e meu caro, só com tarja. Ou depois de certo horário.
    Por que então, diabos, a nudez do índio, ou de um membro duma tribo primitiva na África ou na Austrália, não causa o mesmo efeito? Há alguma diferença entre o corpo deles e o nosso, morfologicamente - e logicamente - falando? Claro, você pode dizer que é natural, que faz parte da cultura deles, essas explicações (pseudo) antropológicas. Nas quais eu mesmo muitas vezes me apoiei. Mas, naquele dia, as cólicas nos neurônios estavam realmente de matar!
    Então, a questão é essa? Cultural? Pois bem. Peguemos outro exemplo: o naturismo também é um produto cultural. Ao menos, de alguns grupos específicos. Jamais vi uma reportagem sobre essa prática na TV aberta sem que se recorresse às horríveis tarjas. Por que essa diferença?
    Por que temos olhos maliciosos para a nudez das pessoas em geral mas não para a nudez dos índios? Sinal de respeito por eles? Creio que não. Creio que seja justamente o contrário.
    Certa vez, li numa revista especializada em história que, na Roma antiga, as mulheres das classes mais abastadas e que, por isso, contavam com escravos para os serviços domésticos, tinham todo o pudor em se despir diante de homens que não fossem seus maridos, por exemplo. Claro, nesse ponto, elas não diferiam das pessoas dos nossos tempos. Mas - pasmem - elas não tinham nenhum constrangimento em tomar banho, por exemplo, na frente de seus escravos, inclusive os do sexo masculino. Claro, por serem escravos, por não serem cidadãos romanos, eles não eram seres humanos, como o seria um romano livre. Eram coisas, animais domésticos, mas não gente.
    Não se passará o mesmo na nossa visão da nudez adâmica dos índios e demais povos? Em outro tópico em que tratei da cineasta Leni Rienfesthal, comentei seu trabalho fotográfico com tribos africanas. A matéria que li no jornal na ocasião trazia algumas das fotos que ela tirara na ocasião. E nelas via-se nitidamente o pênis de alguns dos homens da tribo. Foi a única vez em que vi um nu frontal num jornal de grande circulação, voltado para o público elitizado. Por quê?
    A, digamos, "nudez primitiva" não nos incomoda. Não afeta nosso pudor. Simplesmente por ser primitiva. Por mais que procuremos ter uma visão despida de preconceito em relação aos nossos irmãos não "civilizados", por mais que nos preocupemos com sua condição, que respeitemos e nos encantemos com sua cultura, ainda assim o vemos como inferiores a nós. Ainda o vemos como num estágio inferior ao nosso. Numa forma de vida mais inocente, mais pura. Ainda o vemos como crianças, como incapazes.
    O adulto, por várias ou todas as razões do mundo, vê-se superior à criança. A nudez de um menino de apenas 05 anos, por exemplo, jamais provocaria uma reação negativa num espaço público, repleto de senhoras. Não preciso dizer como essas mesmas senhoras reagiriam à visão da nudez de um adulto. Ela incomodaria não pela nudez em si, mas por se tratar de um adulto. E de um adulto "civilizado", pois aí ele seria um igual.
    Anos antes ainda a esse programa com os índios, lembro-me de uma matéria no "Fantástico" sobre as péssimas condições de vida dos internos num manicômio. E, num determinado momento, a câmera conservadora da Rede Globo não teve nenhum problema em mostrar, ainda que rapidamente, uma interna completamente nua tomando banho de sol no pátio imundo. Claro, assim como o primitivo, o louco também é uma criança, um incapaz. Sua nudez jamais me ofenderá pois eu sou adulto, responsável, civilizado.
    A coisa é tão sutil e, ao mesmo tempo, tão grave e irônica que, se de repente as diversas mídias, por exemplo, começassem a exibir índias nuas para o deleito dos marmanjos de plantão, ela, a despeito do machismo, estaria mostrando um pouco mais de respeito por essas mesmas índias pois, ao contrário do que se faz hoje, elas, com suas vergonhas tão altas e saradinhas, estariam sendo mostradas como o que realmente são: como mulheres tão mulheres quanto uma advogada com um escritório na Av. Paulista ou uma atriz de Hollywood ou uma dona de casa da periferia de Salvador. E não como bichos que vivem no meio do mato.
    Mas, imaginemos o melhor dos cenários: a nudez, seja ela "civilizada" ou "primitiva", ser mostrada como o que realmente é - algo belo que merece respeito e admiração.

    José Lúcio de Barros

    Mensagens : 38
    Data de inscrição : 17/06/2012

    Re: Nudez e preconceito

    Mensagem  José Lúcio de Barros em Qui Nov 01, 2012 8:43 am

    Percebi o que você quis dizer com a nudez dos índios. Há uma iniciativa de vulgarizar uma nudez que não precisaria ser exibida de forma explícita porque, creio, não fazia parte do assunto a ser mostrado. Puro sensacionalismo. Vivemos em um momento em que se banaliza a nudez. É possível ver filmes eróticos ou comprar revistas de pessoas nuas com muita facilidade. Rubens Edwald Filho, dirigindo uma peça de teatro, declarou que criou uma cena em que apenas insinuava o sexo porque tudo ficou explícito demais e cessou a novidade. Rubens está certo. Muitas vezes uma cena em que o público tem que imaginar a ação dos corpos, torna-se muito mais excitante e com uma carga erótica mais intensa. A nudez é perfeitamente viável quando bem inserida em um contexto. Walter Hugo Khouri fez vários filmes com cenas de nudez, mas necessárias para a compreensão das obras. Os meios de comunicação mostram o que é mais conveniente do ponto de vista comercial e muitas vezes ultrapassam a barreira do bom senso.

    Alexandre Garcia da Silva

    Mensagens : 102
    Data de inscrição : 17/05/2012
    Idade : 41
    Localização : Poá/SP (ou Piápolis, se preferirem)

    Re: Nudez e preconceito

    Mensagem  Alexandre Garcia da Silva em Sab Nov 10, 2012 2:16 am

    Pois é, Lúcio. O problema é que, no caso dos nossos índios (e o mesmo valeria para qualquer outra tribo "primitiva"), a naturalidade com que encaramos a sua nudez, ao invés de uma demonstração de respeito é, na verdade, uma demonstração de preconceito da nossa parte. Por que não sentimos essa mesma naturalidade diante da nudez de pessoas ditas "civilizadas"? É por que, para nós, os índios são como bichos, animais selvagens.

    Conteúdo patrocinado

    Re: Nudez e preconceito

    Mensagem  Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Sab Set 23, 2017 4:31 pm