Forum destinado ao Projeto Chroma. Para mais detalhes, visite: www.projetochroma.net.br


    I Amari Barbari

    Compartilhe

    Alexandre Garcia da Silva

    Mensagens : 102
    Data de inscrição : 17/05/2012
    Idade : 41
    Localização : Poá/SP (ou Piápolis, se preferirem)

    I Amari Barbari

    Mensagem  Alexandre Garcia da Silva em Seg Ago 27, 2012 4:45 am

    Já ouviram falar de Roberto Saviano? É um jovem jornalista italiano que, anos atrás, ousou num livro denunciar as ações da Camorra, a máfia napolitana.
    Todos conhecem a máfia siciliana por causa dos filmes de Hollywood, em especial a famosa trilogia "O Poderoso Chefão". Mas, além dela, atuam no sul do país a Camorra e a 'Ndrangheta, na região da Calábria.
    Por causa de sua coragem, Roberto depende de escolta policial 24 horas para continuar vivo. Anos atrás assisti ao filme "Gomorra", adaptação do seu livro. E saí do cinema com um profundo mal-estar. Físico e, principalmente, moral. A Itália mostrada nesse filme nada tem a ver com aquelas belíssimas imagens que tanto encantam aos turistas. Deixo para falar do filme em outro tópico.
    Recentemente saiu no Brasil outro livro de Roberto Saviano. "A Máquina da Lama - Histórias da Itália de Hoje", pela Cia. das Letras. Assim como o filme acima, a leitura desse livro é necessária e urgente.
    Um capítulo me chamou a atenção: a situação do lixo em Nápoles. De novo o mesmo mal-estar físico e moral.
    Pra não me prolongar demais, vou arriscar um resumo da situação da pobre cidade:
    - antes de mais nada é preciso dizer que há uma diferença sócio-econômica enorme entre o norte da Itália, rico, e o sul, miserável, semelhante ao que ocorre entre as regiões Sudeste e Nordeste aqui no Brasil. E assim como aqui, lá há o preconceito dos italianos do norte em relação aos seus patrícios do sul, a ponto de se falar, até, em separação (não é esse um velho sonho dos Estados do Sul no Brasil?);
    - naturalmente, as maiores empresas estão sediadas no Norte. Mas, apesar do tal preconceito, há um momento elas se lembram dos pobres irmãos do sul, em especial de Nápoles: na hora de se livrar do seu lixo, em especial o lixo tóxico que sobra de suas atividades industriais;
    - para tanto, elas são obrigadas por lei a seguir todo um procedimento por motivo de segurança. Um procedimento caro, diga-se se passagem. O que fazer? Recorrer à boa e velha Camorra;
    - por um preço muito mais baixo, a Camorra se livra do lixo em questão. Como? Adquirindo as propriedades dos agricultores miseráveis de Nápoles para nelas enterrar o lixo;
    - o resultado disso tudo? Lavouras e lençois freáticos contaminados. Não é coincidência que nessa região há o maior percentual de casos de câncer da Itália. As pessoas estão sendo completamente envenenadas, graças à Camorra, com a cumplicidade de empresários desonestos e políticos corruptos!
    Cansamos de assistir a escândalos semelhantes no Brasil. A surpresa é muito forte quando descobrimos que num dos principais países da Europa aconteçam tais obscenidades. E que, assim como aqui, também permanecem impunes! É tentador adotar-se uma visão cínica disso tudo e dizer: "Tá vendo? Não estamos tão ruins assim! Até na Europa acontecem dessas coisas!" Mas eu não consigo me confortar dessa maneira.
    Quando eu saí do cinema após assitir à "Gomorra", senti um profundo mal-estar. Físico e moral. Até então eu tinha a inocência de que era possível construir-se uma sociedade socialmente superior à nossa e que os países europeus eram a prova disso. Como fui ingênuo! Cada vez mais infiltrada no Estado, nos negócios lícitos e na vida das pessoas comuns, a criminalidade cada vez mais joga nas nossas caras que, ao final, a entropia moral inevitavelmente prevalece. A civilização cai e a barbárie acaba por se apoderar do palco ensanguentado da História.

      Data/hora atual: Sex Jun 23, 2017 7:02 am