Forum destinado ao Projeto Chroma. Para mais detalhes, visite: www.projetochroma.net.br


    A Insônia do Justo

    Compartilhe

    Alexandre Garcia da Silva

    Mensagens : 102
    Data de inscrição : 17/05/2012
    Idade : 42
    Localização : Poá/SP (ou Piápolis, se preferirem)

    A Insônia do Justo

    Mensagem  Alexandre Garcia da Silva em Qui Ago 16, 2012 4:10 am

    Segundo a máxima popular, é tranquilo o sono do justo, assim como é tranquila a consciência daqueles que são honestos.
    Será?
    Tranquilo, mesmo, é o sono dos canalhas. Dos canalhas que não têm freios morais para sua falta de escrúpulos. Que jamais sentem remorso por terem pisado nos outros para alcançarem seus objetivos espúrios. Que não se colocam jamais no lugar do outro, para quem o outro não conta, não importa, não existe. Ou só conta, importa e existe quando úteis para algum fim (como se pessoas não fossem mais do que coisas descartáveis). A paz do seu espírito (de porco) está garantida pelo seu cinismo.
    Mais tranquilo, ainda, é o sono dos canalhas que, em razão de sua privilegiada posição política ou econômica, podem contar com a impunidade de seus crimes.
    Já o justo...
    Esse não tem o sono tranquilo não, senhor.
    O justo não pode errar. Nunca. Essa impossível perfeição é exigida não só da sua própria consciência como daqueles que o conhecem como tal.
    As pessoas agem como se o canalha pudesse errar sempre. Pois é o que se espera de sua (torpe) natureza. O canalha acaba ganhando o direito irrevogável de prejudicar quem quer que seja.
    O justo? Jamais. Ele deve ser a referência, o exemplo. A base que sustenta o pouco de moralidade que ainda resta em nossa cada vez mais carcomida sociedade. Pois, se as coisas não chegaram a um completo inferno é porque a alguns foi imposta a obrigação de serem santos. De terem sempre o pensamento correto, a palavra correta, o sentimento correto. Mas, o que são o pensamento correto, a palavra correta, o sentimento correto? Ninguém conhece. Mas todos cobram. Do justo. Somente do justo. E porque essa inversão?
    As pessoas não gostam de surpresas.
    O mundo, a vida, as pessoas, tudo tem que funcionar com exatidão, com as fronteiras entre o bem e o mal perfeitamente delineadas. A uns, o privilégio de se comprazerem no mal. A outros, o insuportável exercício de praticar o bem. SEMPRE.
    Às vezes, a cruz pesa demais. E o justo até encontra consolo, uma palavra amiga. Mas tal consolo, tal palavra amiga, não passam de cobranças. "Você NÃO pode dizer essas coisas!" "Você NÃO pode pensar assim!" "Você NÃO pode desistir!" Esse é o amargo quinhão do justo: muitos nãos e nenhuma compreensão.
    E, à noite, com a sofrida cabeça sobre o travesseiro, o justo pensa. Pensa nos problemas que teve que assumir e que jamais resolverá como ele acha (e todos acham) que deveria. Pensa nas coisas que fez, que deveria ter feito tudo melhor, que o esforço desprendido não foi suficiente. Pensa nos momentos de fraqueza que nunca lhe são permitidos, apesar de ele ser tão humano quanto qualquer outro (inclusive quanto o canalha).
    Não, meus amigos. O sono do justo NÃO É TRANQUILO!

    José Lúcio de Barros

    Mensagens : 38
    Data de inscrição : 17/06/2012

    Re: A Insônia do Justo

    Mensagem  José Lúcio de Barros em Qua Ago 29, 2012 1:32 am

    Alexandre, o seu texto é muito bem fundamentado e com grande agudeza sobre a natureza humana. Os canalhas muitas vezes tentam se mostrar inofensivos e acham que seus atos deletérios não são assim tão devastadores. Como se pudessem ser mais ou menos honestos. O correto sofre porque percebe que ser 99% honesto é ser 100% desonesto. E o seu sono realmente não é tranquilo porque a percepção dos erros incomoda. Um texto que Rui Barbosa, Dostoiévski e Rousseau iriam ler com prazer e fariam um debate acalorado.

    Alexandre Garcia da Silva

    Mensagens : 102
    Data de inscrição : 17/05/2012
    Idade : 42
    Localização : Poá/SP (ou Piápolis, se preferirem)

    Re: A Insônia do Justo

    Mensagem  Alexandre Garcia da Silva em Sab Set 01, 2012 4:39 am

    Obrigado pelos comentários, caro Lúcio. O texto foi um desabafo. Estava sentindo uma raiva infinita antes de escrevê-lo. Coisas da vida.
    É como se, em suma, ser justo é ser injustiçado.

    Conteúdo patrocinado

    Re: A Insônia do Justo

    Mensagem  Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Sex Nov 17, 2017 9:06 pm